Select Menu

LOGO CORROSÃO

LOGO CORROSÃO


Thy Art is Murder lançou uma nova faixa no dia 1 de julho 2016.
No próprio vídeo lançado da música diz o seguinte:
''Em dezembro de 2015, três bandas com três abordagens estilísticas diferentes de música agressiva, mas uma perspectiva comum sobre o mundo, se uniram para criar uma peça coletivo de trabalho - The Depression Sessions. Essas três bandas eram THY ART IS MURDER, THE ACACIA STRAIN and FIT FOR AN AUTOPSY e em 12 de agosto, Nuclear Blast Entertainment lançará os resultados desta experiência, tanto em formato digital e em edição limitada de vinil.''

''Mais importante, este disco é uma declaração de comunidade. Vivemos em um mundo muito competitivo e egoísta, e isso é prova de que ele não tem que ser assim. É as amizades que você faz ao longo do caminho, entre os artistas que você dividir o palco com, que você vai levar com você por muito tempo após os shows são mais. Apoie seus pares; a cena musical inteiro vai ser melhor para ele. Muito obrigado pela atenção. "

Tudo indica que isso foi trabalhado final de dezembro 2015, quando as três banda se encontraram em turnê pelo o mundo e surgiu a ideia de unir as três banda e lançar duas faixas(isto foi quando o vocalista CJ Mc Mahon ainda estava na banda). Cada banda lançará uma música autoral e um cover, retratando os acontecimentos atuais que abalaram e ainda abalam o mundo. Então tudo que indica, isso será um álbum split intitulado ''The Depression Sessions'' contendo uma música autoral e um cover das três bandas.

As bandas
THE ACACIA STRAIN e FIT FOR AN AUTOPSY também iram lançar suas nova faixa.

Confira aqui a tracklist do Split:

The Depression Sessions track listing:
1. Thy Art Is Murder - They Will Know Another
2. The Acacia Strain - Sensory Deprivation
3. Fit For An Autopsy - Flatlining
4. Thy Art Is Murder - Du Hast (RAMMSTEIN cover)
5. The Acacia Strain - Black Hole Sun (SOUNDGARDEN cover)
6. Fit For An Autopsy - The Perfect Drug (NINE INCH NAILS cover)

Confira aqui o vídeo Lyric lançado por Thy Art is Murder:



Death Silence, é uma banda de Death metal de Rio branco - AC. Fundada no dia 3 de janeiro 2014, pelo o baterista ''Geovani Moura.'' Tendo como influências Krisiun, Sepultura, Cannibal Corpse e Slayer.

Em 2016 a banda se preparou para entrar em studio pela primeira vez, com o produtor ''Jardel Costa'', para gravar seu primeiro EP, intitulado ''Massacre.'' No dia 22 de fevereiro, do mesmo ano, foi lançando sua primeira single e faixa do EP, intitulada ''Religião Assassina.''

Meses depois, a banda finaliza o seu EP, lançado no dia 4 de Junho 2016, contendo 5 faixas(você pode conferir o EP completo aqui: https://soundcloud.com/death-silencemetal).

A banda no mesmo mês de lançamento do EP, fechou parceria com a ''Criativa Filmes'', fundada e dirigida por ''Raylson Lima''. Responsável pelas filmagens para o primeiro vídeo-clip da banda. Com data marcada para lançamento a 00:00, do dia 26 de julho.

Death Silence, é a banda que mais se destacou rapidamente na cidade, sempre voltada ao público e em busca para alcançar seus objetivos. Destacando-se pelo o marketing, na cena.


Confira o vídeo clip da banda aqui:

Agência: Criativa Filmes.
Produção, Gravação e Edição: Raylson Lima.



Confira a primeira single aqui:

Música produzida por Jardel Costa produções:

Line-up Atual:

Lucas Rafael : Vocal
Cleyson Silva: Guitarra
Jose Chaim : Baixo
Geovani Moura : Bateria

Facebook: https://www.facebook.com/deathsilencemetal/.
Facebook:
https://www.facebook.com/Criativa-Filmes-774786215955180/?fref=ts.
- -
Visceral é um projeto solo de Brutal Deathcore direto de São Paulo. Criado, gravado & mixado por Maikon Campioni "MKC Records". Atual vocalista e membro fundador da banda AthimiA.

Seu som aborda a raiz do ''Deathcore'', que teve o seu auge de 2005/2009 e também, abordando pegadas da evolução do gênero, bem depois do seu auge. Tendo como inspirações Suffokate, Oceano, King Conquer, Ancient Pariah, Messenger of The Covenant, Whitechapel e Carnifex.

Sempre procurando mesclar ambos os lados, da raiz e a evolução mais atual do gênero. Transformando-o em ideias próprias, criando uma sonoridade absurdamente pesada, contando com temática variada nas letras e cantada em Português.

Visceral surgiu no dia 29 de maio de 2016 e lançando logo no inicio sua primeira Single intitulada ''Seu Inferno.'' (Você pode conferir a música no link abaixo).

Já em junho, lançou mais duas novas músicas intituladas ''O Experimento & Pandemônio.''







Link da música ''Seu Inferno.''






- - -

Månegarm é uma banda sueca de Viking/Black Metal, formada em 1995 na cidade de Norrtälje.
Curiosidade: O nome Månegarm foi retirado da mitologia nórdica, é um nome de um lobo.

Essa foi uma entrevista concedida á mim pelo multi-instrumentista Mutilator, da renomada banda de Dark Ambient brasileira Near To The Stars.

-


Gabriel: Antes de tudo, obrigado Mutilator por conceder seu tempo pra essa entrevista.
De onde veio o nome Near To The Stars?
Mutilator: Do álbum “Near To The Stars”, do Nocturnal Depression, banda que é uma grande influência.

Gabriel: Além do Nocturnal, quais são suas outras influências?
Mutilator: Xasthur,Burzum,Nocturnal Depression,Darkthrone,Kraftwerk.
Gabriel: Há alguma influência de sua vida nas letras?
Mutilator: Sim, Sempre tem. A maioria vem de acontecimentos pessoais.
Gabriel: Em seus primeiros lançamentos, é contada a história de um homem perdido no espaço, descreva melhor essa história.
Mutilator: Quando chega ao espaço, ele consegue escapar (claro com a armadura adequada com a respiração), mas a nave dele explode (por isso ele escapa), ele fica perdido, até que encontra uma estação espacial abandonada (tem uma faixa que tem esse nome no álbum e descreve essa chegada) uma estação cheia de máquinas e computadores abandonados. Final da história: Ele vê que não tem como voltar mais pro seu planeta ele retira o capacete e acaba morrendo por aí...
Gabriel: Quantos lançamentos possui a N.T.T.S.?
Mutilator: 5 ep’s,3 demos e uma split pouco conhecida.
Gabriel: Qual seria essa split?
Mutilator: Near To The Stars/Presence In The Woods
Gabriel: O album “Soundtrack For A Suicide” foi dito o último trabalho da banda, mas logo após você lançou uma demo chamada “Arrival of Drone Empire”. Pode dizer por que voltou com a banda?
Mutilator: Sim, foi a idéia de tentar de novo fazer outras coisas novas,agora ficou bem noise e drone.
Gabriel: Você pretende lançar mais materiais sobre esse estilo?
Mutilator: Se der um EP novo sim.
Gabriel: Você lança seus materiais por algum selo?
Mutilator: Selo eu não sei direito ou não lembro/gravadora, mas pelo último foi você quem fez pra mim.
Mas fora isso, todo o resto dos outros EP é tudo feito em casa sem selo mesmo.
Já tentei divulgar pra outros, mas não quiseram.
Gabriel: O que é uma pena, pois seu trabalho é muito bom.
Seu trabalho já foi reconhecido fora do Brasil?
Mutilator: Já, se não me engano teve um canal gringo que postou algo meu e eu tenho uns conhecidos que moram longe daqui que já ouviram também, um da França, e o outro da Rússia eu acho.
Gabriel: Qual o seu álbum que você mais gosta?
Mutilator: Talvez eu goste de cada música.
Tem alguns mais “emocionais” que os outros, mais “pesado”, onde minha situação já esteve pior.

Gabriel: Bem Mutilator, obrigado novamente por responder ás perguntas, tem algo á dizer antes de encerrarmos, alguém á agradecer?


Mutilator: Sim, ao Rio Negro que fez minha logo, e as bandas por existirem por darem influência pra vários projetos.

-

Near To The Stars também está no:
Facebook: https://www.facebook.com/NearToTheStars
SoundCloud: https://soundcloud.com/matheus-gabriel-48
Youtube:







- - - - - -
Ontem (29 de Abril) foi lançado o álbum de estréia da banda de Depressive/Atmospheric Black Metal brasileira :Nihus:, Monólogo do Sofrimento.
Após ouvir o álbum instrumental e a single "A Hole In My Chest", eu não poderia esperar algo melhor que o resultado final.
Ao decorrer do álbum, você ouve músicas cujo sentimentalismo foi totalmente empregado, conseguindo sentir a atmosfera composta pela frieza e a melancolia de Sjukt, o multi-instrumentista da banda.
Riffs e especialmente solos longos e nostálgicos compõem a maioria das músicas, assim como as partes acústicas no meio, criando ainda mais um clima de desolação.
Sobre os vocais, Emmanoel simplesmente usou uma técnica de vocais de Black Metal tradicional em um gênero mais diferente, o que ainda ficou perfeito no contexto da banda, os gutturais usados como backing vocals ainda ajudam, levando o álbum á níveis além do próprio DSBM.
Em todos os aspectos, Monólogo do Sofrimento é um dos melhores álbuns de Black Metal brasileiro que já ouvi, merece todo o reconhecimento possível.
Nota: 9.7/10

Ouça o álbum na íntegra:



Compre o álbum via BandCamp: 
https://nihus.bandcamp.com/album/mon-logo-do-sofrimento-2

Dê suporte á banda pelo Facebook: https://www.facebook.com/nihusabm
                                         SoundCloud: https://soundcloud.com/nihus-depressivebm
                                         

Faça o Download grátis: http://www.4shared.com/rar/jFeRsbQ0ce/2016_-_Monlogo_do_Sofrimento.html



- - - - - -
Recentemente, a banda de Beatdown Hardcore paulista, Esperanto, criou um evento para que os fãs pudessem acompanhar o lançamento de sua primeira single, com um clipe de estréia!
A música se chamará "Unidos Venceremos", e está marcada para sair no dia 23 de Abril.
Evento: https://www.facebook.com/events/805966936200863

Prévia da música:

- - - -

Korpiklaani é uma banda de folk metal/viking metal da Finlândia, fundada pelo vocalista e guitarrista Jonne Järvelä. Originalmente era chamada Shamaani Duo na época de sua formação, em 1993, e então mudou para Shaman em 1996. Com a mudança de estilo da banda e problemas judiciais com o então grupo do vocalista Andre Matos, seus integrantes decidiram em 2003 alterar o nome para Korpiklaani, que significa Clã da Floresta em finlandês.
Enquanto outras bandas de Folk metal começaram com o metal para depois adicionar músicas folclóricas, o Korpiklaani começou com o a música folclórica para depois adicionar tendências do Metal.
Em 1996 vieram a lançar seu primeiro álbum de estúdio, Hunka Lunka. Após um tempo, o Shamaani Duo teve seu nome alterado para Shaman e então lançaram a demo Ođđa Mailbmi (Novo Mundo em Sami). O videoclipe filmado para a canção foi uma sensacional cena emocionante de um lobo saindo de sua jaula e correndo para a floresta. A canção foi incluída no álbum Idja (Noite em Sami) de 1999. Após o álbum Shamániac (2002), o grupo assumiu o nome definitivo de Korpiklaani no ano seguinte.
As mudanças de nome foram sempre acompanhadas pela mudança de estilo da banda. O tradicional vocal Yoik com linguagem samiana caiu quando o sintetizador foi trocado por instrumentos folclóricos. Jonne Järvelä valoriza o seu trabalho e sempre cita a banda Finntroll como inspiração para o Folk Metal.
De acordo com Jonne Järvelä, a música de Korpiklaani é "músicas de Velho com uma Guitarra Heavy Metal na Finlândia".





-


Heidevolk é uma banda de folk/viking metal formada em 2002 na Província de Guéldria nos Países Baixos. As letras contém temas sobre a história e cultura de sua cidade natal, e mitologia germânica.
Sobre a banda tem pouco a se dizer, sobre a música?!  Ouça e tire suas próprias conclusões. 







-

Gabriel: Antes de qualquer coisa, obrigado por conceder á Corrosão Extrema um tempo para esta entrevista, Sjukt!

Sjukt: Eu que agradeço pela oportunidade, irmão!

Gabriel: “Bem, pra início de conversa, de onde veio esse nome,”:Nihus:”?

Sjukt: Bem, a história é meio complexa. De início o projeto se chamava Wahn quando foi fundado no final de 2014, após a saída do vocalista eu arrumei um substituto que já era amigo de uns tempos. Esse rapaz tinha um projeto de Atmospheric Black Metal, chamado:Nihus:, porém o projeto estava parado e ele me convidou a fazer parte, após um período de organização pra podermos arrumar tempo pros dois projetos resolvemos unir eles. Não tínhamos um nome bom, então a Wahn e a :Nihus: se tornaram uma coisa só. Eu na verdade nunca soube ao certo de onde ele tirou a ideia do nome (que é muito bom), mas creio eu que tenha a ver com ser uma menção ao Niilismo (Nihil), ele é fascinado pelo assunto e muitas das letras dele envolvem isso.

Gabriel: Interessante... Você faz tudo na banda, exceto os vocais, pode me dizer o porquê de não ter optado pelos "berros"?

Sjukt: Eu nunca fui o melhor nos vocais, já tentei uma coisa ou outra, mas nunca dava tão certo. Depois de um tempo tentando aplicar meu próprio vocal nas músicas, eu decidi que era mais fácil ter alguém que gravasse os vocais com perfeição. Na verdade eu só não me encaixo bem na hora de fazer vocais rasgados, mas em algumas partes limpas de umas músicas (ou até músicas inteiras) sou eu quem grava o vocal.

Gabriel: Eu notei que na penúltima faixa do álbum Monólogo do Sofrimento há vocal, que no caso foi você que fez, correto? Sobre as letras, elas são espelhadas em experiências próprias de sua vida ou acontecimentos recentes, etc.?

Sjukt: Na verdade a faixa que tem vocal é a primeira e última do segundo vocalista (Seventh) o mesmo que deu nome ao projeto, atualmente conto com Emmanoel (Dyingchrist e Gurum) nos vocais. As letras têm influências de tudo que na aconteceu na minha vida/vem acontecendo. Minha vida é repleta de altos e baixos (quase sempre os "baixos" se sobressaem), eu gosto de usar tudo de ruim que acontece nas letras, eu me isolo, mantendo toda a energia negativa e jogo ela nos instrumentais ou letras e isso me serve como forma de terapia.

Gabriel: Realmente é algo profundo e interessante, vários outros artistas usam essa "técnica", eu mesmo uso e etc. Eu aprecio muito a sonoridade da :Nihus:, tal como tudo em si nesta banda, mas gostaria de saber, de onde veio essa ideia de fazer DSBM? Veio de algum desejo de transmitir sentimentos musicalmente, fazer algo por diversão, como veio?

Sjukt: De fato não há nada divertido nesse tipo de música (risos). A ideia de início nunca foi nem sequer lançar algum som, eu queria liberar a energia negativa que sempre me ronda, nas músicas e nas letras, era pra ser algo pessoal, usando a música como terapia, mas de repente começamos a divulgar as músicas e deu no que deu. Atualmente estou bem satisfeito com isso.

Gabriel: Não só você, os apreciadores da música também (risos). E quais são suas principais influências?

Sjukt: Bom, musicalmente eu diria que minhas influências são Thy Light, Nocturnal Depression, Alcest, Agalloch, Happy Days, Austere, e a banda de nosso saudoso vocalista Emmanoel Ximendes, o Gurum! Eu me identifico de mais com toda a atmosfera das músicas.
Com relação às letras, minha maior influência é minha vida.

Gabriel: Você citou anteriormente que a banda se chamava Wahn antigamente, poderia explicar o motivo da mudança de nome?

Sjukt: Bom, quando o segundo vocalista (Seventh) se juntou à Wahn, queríamos conciliar o tempo de escola, trabalho, "lazer", Nihus e Wahn. Não era tão fácil, então unimos os projetos (Afinal, éramos eu e ele na Wahn, e eu e ele na :Nihus:), e não tínhamos um nome bom e significativo, então usamos o dele.

Gabriel: No caso, quando isso não deu certo, restou apenas a :Nihus:?

Sjukt: Tentamos usar "Plangor" também, significa algo como lástima/choro/gemido/lamentos, etc... Mas não era tão bom quanto :Nihus:.

Gabriel: Com toda certeza (risos) E sobre a saída deste Seventh? Foi alguma briga, desentendimento?

Sjukt: Na verdade não, ele saiu porque quis. Sempre inventava desculpas pra não gravar os vocais e no final acabou revelando que já não dava mais tanto valor à cena DSBM e não tinha mais vontade. Ele saiu e eu segui com o projeto.

Gabriel: Realmente é triste ver esse tipo de situação, mas não á o que se fazer sobre isso... Enfim, que estilos você gosta de mesclar em suas músicas além do DSBM?

Sjukt: Bom, eu tenho muita influência do Black Metal norueguês, e consigo associar um pouco dele ao meu DSBM brasileiro (risos). Tudo que eu ouço ou já ouvi em algum momento da minha vida, influência um pouco na hora da composição, eu gosto bastante de Avante-Garde, por exemplo, algumas influências desse tipo estão bem presentes nas minhas composições.

Gabriel: Bacana essa inclusão de influências alheias
Antes de terminar, gostaria de deixar um agradecimento ou recado para alguém?

Sjukt: Queria agradecer a você, pela oportunidade! E a todo mundo que apoia ou já apoiou de alguma forma a :Nihus:, Obrigado!


Gabriel: Nós da Corrosão Extrema que agradecemos por nos dar esse tempo para a entrevista, irmão!

:Nihus: é: Emmanoel - Vocais e Sjukt - Instrumental








































Ouça a single "A Hole In My Chest", a primeira single com vocais, já com Emmanoel na formação!

Bandcamp: https://nihus.bandcamp.com
Facebook: https://www.facebook.com/nihusabm
- -